A Chapelaria #001

O novo estádio do Peñarol, a surpreendente primeira vitória oficial da seleção das Ilhas Féroe, as narrações emocionantes de seleções que garantiram vaga na Copa do Mundo de 2018 e o machismo no futebol brasileiro são os temas da primeira edição d’A Chapelaria!

E tem mais: torcedor ligando pra polícia pra denunciar um pênalti roubado, a ressurreição de um atacante colombiano aposentado e jogador de 17 anos perdendo jogo da Champions pra fazer prova na escola.

Download | Spotify | SoundCloud | iTunes | Feed

Olá! Este é o post sobre o primeiro episódio d’A Chapelaria. Como não dá pra saber se você tá chegando pelo site ou a partir de outro lugar, como Facebook, YouTube ou Instagram, aqui vai uma breve explicação: esse post contém links, fotos, vídeos e outros conteúdos que expandem os assuntos abordados no programa. Então se você ainda não ouviu essa edição e não quer spoiler, é melhor não descer e ler o resto do texto.

Juiz ladrão, polícia é solução

Estádio Tomás Adolfo Ducó, do Huracán; palco da “ocorrência policial”

O torcedor do Boca Juniors que ligou pra polícia pra reclamar que teve 2 pontos roubados prova que o amor pelo clube do coração é coisa que não se explica, não é mesmo? A gente leu essa matéria no site da SporTV, então você pode dar uma passada lá pra ler na íntegra!

Se você não entendeu muito bem e só quer saber como foi o diálogo entre o torcedor e a atendente do número de emergência, foi assim:

Emergência: Alô, emergências.
Torcedor: Olá, acabaram de me roubar!
Emergência: Endereço?
Torcedor: Parque Patricios.
Emergência: Qual rua?
Torcedor: Amancio Alcorta 2400… 2400 (Estádio do Huracán)
Emergência: Quantas pessoas eram?
Torcedor: Umas 50 mil…
Emergência: Quem te roubou, quantos eram?
Torcedor: Vários, vários
Emergência: O que roubaram?
Torcedor: Dois pontos.
Emergência: Como?
Torcedor: Dois pontos…
Emergência: Não estou entendendo o que está falando. Dois pontos de que foram roubados?
Torcedor: Agorinha, marcaram um pênalti!
Emergência: Isso é uma linha de emergências, senhor!
Torcedor: Bom, eu estava irritado, era só isso.

Caldeirão baratinho

Bela vista do estádio Campeón del Siglo

Parece inacreditável o preço do Campeón del Siglo, estádio do Peñarol, quando comparamos o que foi gasto com as arenas brasileiras da Copa do Mundo, né? Se você gosta bastante de números, olha só mais alguns:

Quer entender um pouco mais sobre a engenharia financeira da construção do Campeón del Siglo? Acesse essa reportagem da ESPN. Ah, o pessoal do Trivela contou em detalhes a inauguração do estádio e o primeiro gol da nova casa, marcado pelo Diego Forlán.

Os 11 de Landskrona

Jens Martin Knudsen, o goleiro feroês do duelo contra a Áustria

Os 11 de Landskrona. Esse é o modo como os heróis feroeses que venceram a Áustria no primeiro jogo oficial da seleção são conhecidos no país. Uma breve explicação: Landskrona é a cidade sueca em que aconteceu aquele jogo memorável.

Durante a pesquisa pra essa reportagem, encontramos algo inusitado: um blog brasileiro sobre o futebol nas Ilhas Féroe. Ele é administrado pelo jovem David Sousa e é atualizado constantemente com histórias sobre o mundo da bola feroês e até com os gols da rodada mais recente do campeonato nacional (!). Se você se afeiçoou a esse belo país, dá uma conferida no blog Faroese Football.

O goleiro Jens Martin Knudsen é uma figuraça. Como é muito frio nas Ilhas Féroe, ele costumava jogar com uma touquinha engraçada na cabeça, como você pode ver ali na foto. Ele já deu muitas entrevistas bacanas sobre aquele jogo. A gente deixa um link aqui, se você quiser ler (em inglês).

Se quiser ver mais lances daquele jogo, assista a esse vídeo:

Cabe outra explicação aqui. A gente escolheu a pronúncia “Féroe” pra se referir ao país, mas existem muitas outras. Como o nome da nação vem de um termo da língua faroesa, Føroyar (literalmente ilha das ovelhas), adaptar é complicado. Tem quem prefira “Faroé”, “Faroe”, “Feroé” e por aí vai. Pra encerrar esse tema, fique com essa bela imagem do país. Com ovelhas, é claro.

Paisagem paradisíaca das Ilhas Feroé

 

Morreu, mas passa bem

John Jairo Trelléz jogando pela Colômbia

Se você desacreditou que John Jairo Trelléz apareceu em dois álbuns de Copa do Mundo sem nunca ter ido a um mundial, a gente prova que é verdade! Colocamos aqui embaixo o post que o ex-jogador fez no Twitter, em que, como dissemos no programa, ele também desmente os tais boatos sobre sua morte e ressurreição.

Gol de Panamáááááááá 😭

Essa é a imagem que melhor representa a emoção dos panamenhos com a ida à Copa da Rússia. Como contamos no programa, um torcedor invadiu o campo para dar um abraço no autor do gol que garantiu o Panamá no mundial, Román Torres. O policial, em vez de expulsar o exaltado torcedor de campo, aproveitou o momento e encorpou o abraço!

Román Torres, torcedor e policial. Que abraço!

Estudante aplicado

Kai Havertz atuando pelo Bayer Leverkusen

Kai Haverts tirou uma boa nota na prova que o impediu de jogar contra o Atlético de Madrid. Quem revelou o feito do menino foi Daniel Jouvin, preparador físico do Bayer, que acompanhou o garoto durante a empreitada escolar.

“Não sei exatamente quanto, mas já me disseram que tirou uma boa nota. Não é nada de inesperado, porque o Kai é um excelente aluno e, logo no dia, quando lhe perguntei como tinha corrido o exame, disse que tinha corrido bem. Estava contente. Por isso todos esperávamos uma boa nota.”

Kai Haverts é filho de uma família bem estruturada e rígida. O garoto foi proibido de dar entrevistas até completar 18 anos. Os pais queriam proteger o jovem do assédio da imprensa e da própria opinião pública.

Guerreiras

Time feminino do AEM de Lleida

Duas notícias bacanas sobre futebol feminino: o clube feminino espanhol AEM Lleida venceu um campeonato masculino com quatro rodadas de antecedência, segundo conta o jornal El País. Aliás, o próprio El País contou a história da mineira Maria Alice, jovem de 12 anos que mobilizou multidões na internet com uma campanha para conseguir autorização para atuar em competições masculinas de futebol, porque não há times femininos na cidade onde ela mora.

Se você acha que a proibição do futebol feminino no Brasil era mentira, aqui vai a prova: a deliberação nº 07 de 1965. Segue um trecho: “Não é permitida a prática feminina de lutas de qualquer natureza, futebol, futebol de salão, futebol de praia, polo, halterofilismo e beisebol”.

Sobre o assédio que as repórteres vem sofrendo nos estádios brasileiros: sob a marca #DeixaElaTrabalhar, um grupo de cerca de 50 jornalistas mulheres de todas as regiões do Brasil lançou a campanha e um vídeo com alguns dos relatos sofridos. Comentários violentos e ameaças de estupro de torcedores nos estádios e nas redes sociais estão entre as agressões.

Pra combater esse absurdo, nada melhor do que ver a Marta aprontando das suas:

C´est fini

É isso! Essa foi a primeira edição do podcast A Chapelaria. A segunda edição vai ao ar no dia 17 de abril, daqui a duas semanas.

Enquanto isso, nos mandem comentários! Você pode comentar aqui, no Facebook, no Instagram, no YouTube ou no SoundCloud, mas o mais legal mesmo vai ser receber um áudio seu no nosso Whatsapp, assim você participa diretamente da conversa que vai acontecer no início do próximo episódio. Nosso número é (11) 9494-88400Até mais!

5 comentários em “A Chapelaria #001

Adicione o seu

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: